Qual a história por trás da estrada real?

By | julho 1, 2017

Qual a história por trás da estrada real?

A história por trás da Estrada Real para ser conhecida por cada brasileiro.

Sinônimo de riqueza e independência. A verdadeira história da Estrada Real em Minas Gerais teve seus caminhos trilhados pelos colonizadores durante a descoberta do ouro.

Testemunhas das lutas de poetas inconfidentes pela independência, das andanças dos bandeirantes à procura de pedras preciosas, do sangue derramado pela Coroa em nome dos cofres imperiais e de todo ouro e diamantes que escoaram do Brasil rumo à Europa, a chamada Estrada Real construiu a história de Minas Gerais.

Após mapeamento deste patrimônio histórico, com o objetivo de preservar a história da Estrada Real foi criado um projeto em 2001 para transformação dessa estrada em ponto turístico. São 1512 km formados por 177 municípios, sendo 162 em Minas Gerais, 8 no Rio de Janeiro e 7 em São Paulo.

Conhecer a Estrada Real é reviver a história descobrindo lugares inesquecíveis. Cercado por montanhas e muita cultura, gastronomia e contos, o complexo reúne uma série de atrativos para turistas que passam pela região.

A Estrada Real que corta os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo é formada por quatro caminhos:

 

Caminho Velho

Também chamado de Caminho do Ouro, foi o primeiro trajeto determinado pela Coroa Portuguesa e liga Ouro Preto a Paraty.

 

Caminho Novo

Criado para servir como um caminho mais seguro ao porto do Rio de Janeiro, principalmente porque as cargas estavam sujeitas a ataques piratas na rota marítima entre Paraty e Rio.

 

Caminho dos Diamantes

O caminho tinha a intenção de conectar a sede da Capitania, Ouro Preto, à principal cidade de exploração de diamantes, Diamantina.

 

Caminho Sabarabuçu

Distrito de Ouro Preto, o lugar é cercado por esplêndidas paisagens de montanha e lendas que permeiam o imaginário popular.

No Brasil, o nome “Estrada Real” refere-se a qualquer via terrestre que, à época do Brasil Colônia, era percorrida no processo de povoamento e exploração econômica de seus recursos, em articulação com o mercado internacional.

A Estrada Real foi o nome dado em Portugal e em todo o Império Português aos principais caminhos construídos no país, regiões e colônias, cuja construção e manutenção eram responsabilidade da Coroa Portuguesa, diretamente ou através dos seus representantes locais.

Esta parte da história da independência do Brasil continua aberta ao público e visitação pelos museus das cidades que cruzam a estrada real e suas histórias que permanecem acesas nos livros do império português.

 

Percurso da Estrada Real

Em todo o trajeto entre os três estados, os eixos principais dos caminhos – Velho, Novo, dos Diamantes e Sabarabuçu – estão situados marcos da Estrada Real. Eles estão sempre presentes onde há pontos de bifurcação ou em locais que geram dúvidas ao viajante sobre a continuação da trilha.

Uma segurança ao turista que está desbravando o caminho e não tem conhecimento da área. Durante todo o percurso, infraestrutura de restaurantes, bares, comércio, hotéis e pousadas são de fácil acesso ao turista.

Em todo percurso da Estrada Real tem na gastronomia uma de suas maiores atrações. São receitas, pratos e quitutes apreciados por todos. Muitos deles produzidos artesanalmente e com ingredientes únicos.

E é justamente para valorizar toda essa riqueza que surgiu o Terroirs Estrada Real. Uma iniciativa que está selecionando e mapeando os terroirs encontrados ao longo da Estrada Real. Tanto em Minas Gerais, quanto no Rio de Janeiro e São Paulo.

Entre as cidades da Estrada Real estão as belezas ricas naturais, cachoeiras, patrimônio cultural e histórico e a gastronomia, nas cidades de Cachoeira do Tabuleiro – Serra do Cipó – MG; Paraty – RJ; São João Del Rey – MG; Diamantina – MG e Ouro Preto – MG.

 

Gastronomia e Produtos Artesanais

Uma gama em opções de produtos produzidos de forma artesanal por produtores nativos em regiões ribeiras na Estrada Real, durante sua excursão irá encontrar cachaça, café, cerveja artesanal, licores e vinhos. Em doces de frutas nativas, mel e goiabada real.

Entre as frutas da região estão marmelo, morango, pequi e pinhão.

Com várias opções de queijos destacamos o queijo da caverna, queijo artesanal, queijo catauá, queijo do serro e queijo do reino.

Entre as iguarias o turista deve experimentas os pratos da região como frango ao molho pardo na cidade de Diamantina; fubá suado em Conceição do Mato Dentro; Pastel de Angu de Itabirito.

Com tantas especiarias e um patrimônio histórico preservado para contar a história do Brasil Imperial, siga as dicas para ter um deslumbrante passeio e uma viagem à época da independência do Brasil. A história por trás da Estrada Real para ser conhecida por cada brasileiro e turista estrangeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *